Nossos Canais

Sabe quando você tenta entender aquilo que o professor está explicando e não consegue? Seus amigos estão entendendo, mas não faz sentido para você?
Bom, se isso acontece com frequência quando você tenta ler, escrever, calcular ou organizar suas ideias, você pode ter um transtorno de aprendizagem.

• O transtorno de aprendizagem pode ser explicado como dificuldade importante e permanente para o aprendizado da leitura, da escrita, da aritmética e outros conteúdos específicos.
• Não acontece por falta de inteligência ou por de falta de vonlade.
• A pessoa nasce com um cérebro que recebe e organiza informações de uma forma diferente. Muitas vezes, outras pessoas da famllia também são assim.
• O ambiente familiar e a qualidade da educação recebida podem piorar a situação, mas não são a causa do transtorno de aprendizagem.

Para quem tem dislexia é difícil combinar sons e letras e colocar tudo na ordem certa até para virar palavra e texto. Para ler, você tem que ir devagar e voltar diversas vezes.
Pula as letras, entende errado, troca tudo. Às vezes você esquece o que o professor pediu. Isso sem falar na desatenção e na desorganização.
Como você tem facilidade para aprender algumas coisas e tem ideias muito boas algumas pessoas pensam que você é desleixado, preguiçoso ou tem falta de interesse.
Mas não é! Você tenta e não consegue. De tanto tentar, dá vontade de desistir, não é?

A dislexia é uma falta de habilidade específica para aprender a ler e escrever.
A pessoa com dislexia pode ter outras dificuldades associadas, como desatenção e desorganização. Assim como nos outros tipos de transtorno de aprendizagem, a dislexia não acontece por falta de inteligência ou por falta de vontade.

Neste caso, é difícil aprender a contar. Todos aprendem a tabuada, menos você. Você tenta decorar, mas não consegue. Como entender tantos números enfileirados? E, por que o zero, quando muda de lugar, muda de valor? Afinal, zero é zero! Não vale nada, certo? Ler as horas no relógio ou estar pronto na hora combinada podem ser grandes problemas. Ir às compras sozinho e ter que conferir o troco, memorizar o número da casa e o número do telefone - ai quanta confusão. O pior, é o tic tac do relógio da professora, todos terminando a prova e você lá - esperando aqueles números fazerem algum sentido.

A discalculia é uma falta de habilidade que atrapalha o entendimento dos números e do que eles representam. Por isso, fica muito difícil entender as operações de aritmética, a tabuada e o cálculo. Com frequência, também estão prejudicados o entendimento do sentido do tempo, da sequência e da ordem.
Assim como nos outros tipos de transtorno de aprendizagem, a discalculia não acontece por falta de inteligência ou por falta de vontade.

Quando você escreve, as letras e as palavras tem vida própria. Ficam tortas, umas muito grandes e outras muito pequenas. Direita e esquerda viram uma confusão.
Às vezes você aperta muito o lápis contra o papel ou ele cai da tua mão toda hora.

A disgrafia é uma dificuldade para o traçado da escrita, tornando-a, às vezes, ininteligível. Com frequência, também estão presentes alterações da lateralidade (noções de direita e esquerda) e de funções perceptivo-motoras.
Assim como nos outros tipos de transtorno de aprendizagem, a disgrafia não acontece por falta de inteligência ou por falta de vontade.

Bom, agora que você entendeu o problema, vamos pensar sobre o que fazer. As dificuldades que os transtornos de aprendizagem causam, estão presentes durante toda a vida, mas isso não significa que não dá para você melhorar. Muito pelo contrário, o acompanhamento adequado em casa, na escola e com especialistas (fonoaudi6Iogos, psicólogos, psicopedagogos, médicos) vai permitir que você encontre um caminho para superar essas dificuldades.

 

É importante pedir ajuda aos pais e aos professores. Você não deve enfrentar isso sozinho. A escola precisa saber que você aprende de forma diferente. Se você souber qual é sua melhor forma de aprender (lendo, escrevendo, desenhando, ouvindo, construindo esquemas, conversando com colegas... ) você pode ajudar os professores
a te ensinarem melhor.

 

Transtorno de aprendizagem não é motivo de vergonha. Quando nosso cérebro tem um jeito muito diferente de aprender, e só nos ensinam de um mesmo jeito - bem, fica difícil. Precisamos a render a a render diferente, or ue TODOS APRENDEM!

É muito importante que os pais estejam atentos a alguns sintomas e sinais precoces que podem indicar a presença de um transtorno de aprendizagem:


• Atraso no desenvolvimento motor desde a fase do engatinhar, sentar e andar;
• Atraso no entendimento ou na expressão da fala;
• Dificuldade no reconhecimento de letras e palavras;
• Dificuldade no reconhecimento de números e símbolos;
• Tendência à agitação ou à desatenção;
• Dificuldades de adaptação na escola desde os primeiros anos escolares;
• Historia familiar de dificuldades escolares graves;
• Desorganização, dificuldade para leitura de horas, dificuldade para orientação
temporo-espacial.

Se você identifica no seu filho alguns desses sinais, é importante acompanhar de perto seu desenvolvimento e, em caso de dúvida, providenciar uma avaliação multidisciplinar por especialistas em aprendizagem.


Geralmente, os profissionais da saúde que avaliam e acompanham crianças com transtornos de aprendizagem trabalham em equipes multidisciplinares compostas por médicos, fonoaudiólogos, psicólogos e psicopedagogos.


Para mais informações, consulte o site do iABCD. Lá temos materiais e guias que podem ajudá-lo a entender o papel da família na vida de uma criança ou jovem enfrentando problemas para aprender.

Um dos principais eixos da vida de todos os indivíduos é a educação. Por isso, é de extrema importância que o professor e a escola sejam grandes facilitadores na longa jornada da vida escolar.
Sabemos que o conhecimento e a participação dos professores influenciam diretamente no desempenho de seus alunos, assim é necessário que a escola procure buscar o conhecimento sobre o que é dislexia e outros transtornos de aprendizagem, além de proporcionar espaço, métodos e técnicas para que o aluno disléxico, ou com outro transtorno de aprendizagem, possa se sentir apto a adquirir e construir conhecimentos.

 

Para mais informações, consulte o site do iABCD. Lá temos materiais e guias que podem ajudá-lo a entender o papel da escola e do professor na vida de uma criança ou jovem enfrentando problemas para aprender.

As queixas de mau desempenho escolar são muito frequentes em consultórios e elas devem ser investigadas de forma adequada para que seja feito um diagnóstico correto.
Diante dessas queixas, os profissionais da saúde devem ficar atentos e saber diferenciar uma dificuldade de aprendizagem (de natureza transitória) de um transtorno de aprendizagem (de natureza permanente). A dificuldade para aprender reflete desafios transitórios na vida dos escolares: mudanças no ambiente escolar, falta de motivação, inadequação de métodos pedagógicos, períodos de adaptação a mudanças na vida familiar e social.
 

O transtorno de aprendizagem decorre de um desequilíbrio nas funções cognitivas envolvidas na aquisição e no desenvolvimento do ato de aprender. Tem origem neurológica e é persistente.

As crianças e jovens com esse perfil tem sua vida afetada dentro e fora da escola porque frequentemente suas dificuldades são erroneamente atribuídas a falta de vontade e preguiça. Existe muito estigma em torno do mau aluno.
ma criança ou jovem enfrentando problemas para aprender.


Assim é fundamental que os profissionais da saúde envolvidos no acompanhamento do desenvolvimento infantil mantenham-se sempre atualizados e conheçam os transtornos de aprendizagem e como lidar com eles, para que consigam oferecer suporte precoce e consistente a essas crianças e seus familiares.
 

Para mais informações, consulte o site do iABCO, lá você encontrará materiais e guias que podem ajudá-lo a entender o papel do especialista de saúde na vida de uma criança ou jovem enfrentando problemas para aprender.

• Há muitas celebridades, artistas e figuras públicas que conviveram com a dislexia, a discalculia e a disgrafia. Figuras históricas como Thomas Edison, Albert Einstein e também atores de Hollywood como Orlando Bloom e Tom Cruise.

• Transtornos de aprendizagem como a dislexia, a discalculia e a disgrafia não são considerados doenças. Elas acontecem porque a forma de o cérebro processar e organizar as informações relacionadas a símbolos, letras e números acontece de forma diferente nessas pessoas.

• Pessoas disléxicas possuem a área lateral-direita do cérebro mais desenvolvida, tendo geralmente facilidade em áreas como: música, pintura, atuação, solução de problemas e esportes.